Eles crescem…

O tempo voa mesmo. Outro dia ele nasceu e naquela noite, enquanto o Joao dormia solenemente, eu me emocionava em trocar a primeira fralda do meu filho, de madrugada, no escuro, naquele hospital.
Já se passaram dois anos e quatro meses e embora a gente ainda o veja como um bebê, ele cada dia dá mais sinais de que a relaidade não é bem assim, a toda hora, a todo minuto ele arruma uma maneira de mostrar, como se quisesse gritar: "EU CRESCI".

Sexta-feira começou normal, mas quando ele levantou da cama foi direto pro banheiro, tentando tirar a fralda ainda seca, para fazer o seu xixi matinal.
Foi o primeiro sinal.
Depois, na escola, a professora me disse que nem na hora do cochilo ele dorme mais de fraldas. Nesse momento, nesse exato momento, eu comecei a me dar conta que talvez, TALVEZ, ele estivesse mesmo deixando de ser meu bebezão.
Sábado e domingo foi, para mim, um final de semana de experiências incríveis, afinal ele passou o final de semana todo de cuecas e apenas um acidente, mais por culpa minha, que como estava com visitas perdi o controle da hora, do que dele.

Então, aquele bebezinho que eu trocava fraldas agora usa cuecas, reconhece as letras do alfabeto, vai pra cama sozinho na hora de dormir, e ainda aplicou a palavra "igual"corretamente. Preciso me acostumar que não existe mais um bebê na minha casa e sim um menino esperto, educado e muito levado. 🙂