Nostalgia

Tem dias que eu chego em casa e depois do Thiago ir dormir, depois de jantar, eu gasto o meu tempo procurando vídeos antigos no YouTube. Podem ser vídeos que foram moda no ano passado, há cinco anos, dez anos, mas o que eu mais me divirto mesmo, e perco a noção da hora é vendo os comerciais da minha infância.
E como eu não sou nenhuma ninfa-bebê, eu estou falando de anos 70/80. Por exemplo, quem na casa dos 30 anos não se lembra da Melissinha que vinha com uma Pochetinha?

Eu seria mega-retardada se tivesse uma, afinal o lançamento é de 86 e eu já era praticamente uma adulta no alto dos meus 12/13 anos… mas veja só, eu não podia ter Melissinhas, porque Samantha, a cachorra da minha irmã lá de casa, adorava comer Melissas (no diminutivo ou não).

Mas hoje, viajando de comercial em comercial, acabei esbarrando no comercial da Faber Castell, o primeiro com Aquarela  do Toquinho. Eu me emocionei muito, porque até hoje me lembro como fiquei fascinada com a beleza do comercial. Como amei ver aquela animação e como aquela música era linda. Tão linda que ela até hoje faz parte da minha vida, mas agora o termo mais apropriado seria “das nossas vidas”.

Quando eu descobri que estava grávida,  minha madrinha me contou sobre ter uma música pro bebê. Desde a barriga, colocar aquela música diariamente para o bebê escutar e quando ele estivesse nervoso ou ansioso do lado de fora, essa música, essa melodia o remeteria ao útero e assim o bebê ficaria mais calmo e tranquilo. Foi muito estressante ter que escolher uma música entre tantas (até Queen e Green Day) mas tanto eu quanto o João acabamos cedendo aos encantos de Aquarela. É a música calmante do Thiago e hoje em dia, pois se consegue acalmar meu filho num momento de dor ou estresse vira meu herói, minha música predileta.

Fica o comercial pra vocês relembrarem, um comercial com música e animação simples, lindas e inspiradoras: