hmmm

Achei em outro blog (Rainhas do Lar) e achei interessante pra cá:

“Seu peso ideal não pode ser expresso como um número de 2 dígitos numa tabela produzida em massa por uma companhia de seguros. O peso perfeito para você é muito mais subjetivo. Somente quando você se sentir saudável, ativo, fisicamente atraente e à vontade com o seu corpo, é que você estará no seu peso ideal. Você é a única pessoa capaz de determinar isso, e sua opinião é a única que realmente importa… A verdadeira solução repousa, simplesmente, em recuperar a fisiologia perfeita que a natureza já lhe deu.”

Deepak Chopra

Gripe Suína?

Eu ando vendo os noticiários e fico com aquela sensação de que há uma onda de sensacionalismo.
Não é que não seja importante divulgar, mas veja bem, 29 mortes no Brasil é menos do que muita doença já conhecida por aí. Quer um exemplo? A Meningite.

A meningite matou no estado do Rio de Janeiro, em 2008, 86 pessoas. Esse ano, não achei o número certo de óbitos, mas só nos quatro primeiros meses do ano, foram 358 pessoas infectadas.
Existem dois tipos de meningite: a bacteriana que mata 30% dos infectados, na média. E a meningocócita, que chega a matar 20% dos doentes, portanto é uma doença de alto grau de mortalidade e que o governo não dá a mínima, infelizmente.
Pra escrever isso dei um googlada e acabei descobrindo que a Bahia anda sofrendo também com a meningite, além da Dengue. Mas isso a gente não escuta no Jornal Nacional, ne? Que jornal vai dizer que por uso errado das verbas de saúde a população da Bahia está sofrendo que nem o Rio de Janeiro sofreu ano passado, com a Dengue e a Meningite? Melhor falar da gripe suína…

Pior é saber que existem vacinas para os dois tipos de Meningite e o governo continua deixando as nossas crianças morrerem, já que se nega a colocar no calendário oficial de vacinação, pelo SUS. São duas vacinas diferentes, cada uma com 3 doses cada, e que fazem os pais que podem pagar, com sacrifício ou não, desembolsar cerca de R$ 900,00, nos lugares mais baratos, para poder vacinar seu filho. E a maioria da população que não pode pagar? Como faz? Reza.

Não acho que seja uma coisa boa a gente descuidar da gripe, seja ela Nova ou antiga, mas acho que está na hora do governo começar a se comprometer mais com a população do que ajudas paternalistas e evitar que mais crianças e futuros adultos morram de uma doença que já tem vacina de prevenção no mercado.

E o bullying?

Eu estou com um problema aqui em casa.
O Thiago tem 1 ano e 5 meses e ficou comigo até hoje, não foi pra creche, mas a gente desce pro play todo dia, para ele brincar e ter contato com outras crianças, coisa que eu acho muito saudável, mas como ele não foi pra creche, eu acho que ele não sabe se defender.

Normalmente ele não tem problemas no play, quando alguém pega um brinquedo que está com ele, ele vai lá e pega outro e é tudo alegria.
Aqui no play, na verdade, as mãe e babás estimulam bastante a troca de brinquedos, pois a maioria é filho único e a gente aproveita pra ensinar a dividir as coisas.

Mas tem dois meninos que dão problema, mas um passa o dia na creche, então a gente quase nunca encontra com ele. O outro é um garoto de 2 anos e 5 meses, que não divide nada. Quando ele leva o brinquedo, ninguém pode pegar e se ele vê o brinquedo de outra criança, ele pega pra ele também, mesmo que não brinque e não deixa ninguém pegar de volta. Mas para isso ele bate, empurra e antes de ontem ele tentou morder o Thiago. =( Como eu estava do lado, eu coloquei a minha mão na frente e ele acabou quase mordendo a minha mão, mas como viu que não era o Thiago parou.

Ele fica com uma babá a semana inteira, que é um amor e tenta de todas as maneiras. Ela conversa, briga, fala, mostra, mas nada adianta.
Ontem ele empurrrou e bateu no Thiago para pegar a bola.

A minha pergunta pra vocês, mães mais experientes, é: como lidar com isso? o que fazer? Eu não quero ensinar o meu filho a ser violento, mas também não posso deixar ele ser saco de pancada, ne?
Também não quero deixar de descer, pois além desse menino, tem várias outras crianças que ele se diverte em brincar.

Alguém tem alguma luz?

ó eu aqui "traveiz"

oh crap… jurei que não ia abandonar o blog e abandonei os dois 😦

Viajamos, fomos para um hotel fazenda no outro final de semana. Ameeeei. Foi só felicidade. O Thiago amou, andou a cavalo, foi na piscina e até brincou com um coelho!

Fotos aqui!

E agora vou entrar no mérito da Marie Claire ter feito/patrocinado o blog de uma mulher, de peso normal, porém fora de forma, com o título sugestivo de “Cansei de ser Gordinha”. Acho que as pessoas não fazem isso por mal, que é comentar com a outra: “nossa, eu tô imensa de gorda, uma vaca” e essa pessoa está apenas uns 3 ou 4 Kg acima do peso. Mas não vejo isso com bons olhos. Obesidade é uma doença, e a anorexia também, e enquanto as pessoas continuarem a tratar peso com um problema estético e como falta de vergonha na cara o problema só tende a crescer.

Tanto as verdadeiras gordinhas e obesas se sentirem cada vez mais deslocadas entre as falsas gordas e com isso aumentando a inadequação, levando a depressão e cada vez mais à comida, quanto o problema das anoréxicas que existem por aí. Cada adolescente ou adulta que se considera uma gorda, apesar do seu IMC estar dentro do que é considerado normal ou saudável, como o da autora do blog. Peço aos pais e mães, que deixem bem claro aos seus filhos que o único problema da obesidade é a saúde, porque em quesito de estética, tem gosto pra tudo. 🙂 A gente pode ser feliz sendo gorda. A gente pode ser amada sendo gorda. A gente pode comer normalmente sendo gorda. A gente só precisa tomar conta da saúde … e essa deve ser a única motivação para ser mais magra. Saúde.

Espero que a autora consiga entrar em forma. Também espero que ela entenda a responsabilidade de escrever num veículo tão importante, mesmo sendo no espaço web. Espero que ela pare de se achar gorda, e passe a ser mais feliz. E realmente espero que ela consiga ver a diferença entre estar fora de forma e ser gorda. Ontem, aliás, eu estava vendo a final da segunda temporada de “So you think you can dance”, onde uma das finalistas, em forma total, uma bailarina excepcional, a Donyelle se apresentava bem acima do peso de uma bailarina dita normal. E não fez feio em nenhum momento, apesar do visível excesso de peso.

Como eu sou gorda e representante da categoria, me irritou bastante ver uma magra usando o termo de gordinha. Se ela é gordinha, com um IMC de menos de 22, o que somos nós, com o IMC acima de 25, 30, 35? Aberrações?

Enfim, só minha revolta pessoal contra a indústria de filé de bacalhau…

ó eu aqui!

oh crap… jurei que não ia abandonar o blog e abandonei os dois 😦
Viajamos, fomos para um hotel fazenda no outro final de semana. Ameeeei.
Foi só felicidade. O Thiago amou, andou a cavalo, foi na piscina e até brincou com um coelho!
Fotos aqui!

Além disso, pra quem ficou por fora, estou com um blog sobre o processo de emagrecimento:
É o Teca Reduzida.

E vou entrar no mérito da Marie Claire ter feito/patrocinado o blog de uma mulher, de peso normal, porém fora de forma, com o título sugestivo de “Cansei de ser Gordinha”.

Acho que as pessoas não fazem isso por mal, que é comentar com a outra: “nossa, eu tô imensa de gorda, uma vaca” e essa pessoa está apenas uns 3 ou 4 Kg acima do peso. Mas não vejo isso com bons olhos. Obesidade é uma doença, e a anorexia também, e enquanto as pessoas continuarem a tratar peso com um problema estético e como falta de vergonha na cara o problema só tende a crescer. Tanto as verdadeiras gordinhas e obesas se sentirem cada vez mais deslocadas entre as falsas gordas e com isso aumentando a inadequação, levando a depressão e cada vez mais à comida, quanto o problema das anoréxicas que existem por aí. Cada adolescente ou adulta que se considera uma gorda, apesar do seu IMC estar dentro do que é considerado normal ou saudável, como o da autora do blog.

Peço aos pais e mães, que deixem bem claro aos seus filhos que o único problema da obesidade é a saúde, porque em quesito de estética, tem gosto pra tudo. 🙂

A gente pode ser feliz sendo gorda.
A gente pode ser amada sendo gorda.
A gente pode comer normalmente sendo gorda.
A gente só precisa tomar conta da saúde … e essa deve ser a única motivação para ser mais magra. Saúde.

Espero que a autora consiga entrar em forma.
Também espero que ela entenda a responsabilidade de escrever num veículo tão importante, mesmo sendo no espaço web.
Espero que ela pare de se achar gorda, e passe a ser mais feliz.
E realmente espero que ela consiga ver a diferença entre estar fora de forma e ser gorda.

Ontem, aliás, eu estava vendo a final da segunda temporada de “So you think you can dance”, onde uma das finalistas, em forma total, uma bailarina excepcional, a Donyelle se apresentava bem acima do peso de uma bailarina dita normal. E não fez feio em nenhum momento, apesar do visível excesso de peso.

Como eu sou gorda e representante da categoria, me irritou bastante ver uma magra usando o termo de gordinha.
Se ela é gordinha, com um IMC de menos de 22, o que somos nós, com o IMC acima de 25, 30, 35? Aberrações?

Enfim, só minha revolta pessoal contra a indústria de filé de bacalhau…

E o Renato, lá… lalalalalá, lalalá laralaralá …

Enfim, tomei vergonha na cara e comecei os exercícios.

Quinta-feira o Renato veio aqui, me mediu, me pesou e me colocou pra malhar.
È ótimo ter um professor assim, dedicado pra mim. Adorei.

Espero que o dinheiro dure até o final do tratamento. :)))

Fita-metricaEssa maldita aí de cima vai servir pra determinar as minhas vitórias. Quanto mais eu malhar, melhor o resultado vai ser. Torçam por mim, afinal eu não nasci pra correr numa esteira :))

Planos?

A meia-maratona do RJ, mesmo que seja andando :)))

Olá!

É bom estar de volta. Ao blog e na minha casa. Viajei nesse final de semana, mas vou falar nisso mais tarde.

** Dia 26/06 eu fui na Thelma, e ela me passou a dieta que eu devo me manter e me pesou. Primeiro, fiquei muito satisfeita em ver a variedade de alimentos. Uma coisa que mata qualquer dieta é a mesmice. Daí pensei muito nisso e resolvi mudar meus hábitos também. Provar coisas novas, estabelecer um novo paladar. E não é que me surpreendi? Veja bem, eu passei os últimos 36 anos da minha vida recusando Polenguinho, porque achava meio nojentão. Mas provei e virei fã incondicional do lanchinho:

polenguinhoTá na hora do lanche e eu to atrasada na rua, polenguinho rlz! E  o mesmo tem acontecido com saladas, adoçante e comida com pouca gordura.

Fico muito feliz com o caminho que as coisas tem tomado. Estou cada dia mais magra, mais feliz e com mais saúde.

Vale a pena. Realmente vale a pena!