Chain of Fools

Uau … vários dias sem escrever nada por aqui, e no final, tenho muita coisa pra escrever. Não que interesse alguém de verdade, mas vamos lá:
Final de semana divertido e colorido!

Primeiro, formatei com sucesso meu HD de casa. Pela primeira vez, eu acredito que salvei tudo que eu precisava salvar, e não estou chorando porque perdi isso ou aquilo. 😛 O bom disso é que eu consigo ver os meus shows no computador e não precisa mais o processo todo de gravar CD.
Sábado pela manhã eu vi uma sequência de séries:

Gostei bastante. Apesar da Calista Flockhart, aquela que acabou com o meu sonho adolescente … Apesar de amar a Ally, eu nunca fui muito com a cara da Calista, e da Sally Field, a Regina Duarte gringa, que está trabalhando bem, eu gostei. 😛
Vai ver é porque eu adoro shows sobre relacionamentos familiares. Vai ver é bom ter o conforto que apesar da sua família ser uma bagunça tem gente pior, pelo menos na TV! 😛 Estou baixando o segundo episódio agora para ver a noite, ou amanhã, mas se tudo continuar como o primeiro promete ser um bom show. Pena que já rolam boatos de que a equipe anda dando problemas, ou seja, corre o risco de ser cancelado… 😦

,

Muito bom! Hilário na verdade. O Steve Carell é perfeito. E toda a estética do show não precisa nos avisar quando a gente precisa rir, me faz sentir que os produtores estão dando um crédito a inteligência da audiência. Eu sei que parece bobagem, mas aquelas risadas gravadas, mesmo nos meus sitcoms prediletos, me irritam bastante. The Office é bobo ao extremo, mas sem chamar o público de idiota. Não vejo a hora de ver o terceiro episódio. …

e

JJ Abrams que me perdoe, mas dessa vez ele errou feio. O showzinho sem graça. A curiosidade de quem conhece quem do primeiro episódio se transformou num tédio total no segundo. Nem consegui ver todo. Parei no meio. Ainda que a história de ter uma segunda chance (assunto bem abordado também em LOST) seja um bom assunto para uma série, o segundo episódio foi muito tedioso. Estou pensando se ele vai merecer uma segunda chance minha para eu baixar o episódio dessa semana. Mas eu acho que não … 😛

.

Além disso, é claro, eu encerrei minhas atividades do Festival do Rio. Consegui ver mais dois excelentes filmes e perdi um porque confundi os horários. E eu achava que seria um bom filme. 😦

Sexta feira era pra gente ir ver A Última Noite (A Prairie Home Companion), mas a anta aqui confundiu o horário do filme e a gente acabou não indo ver. Esse eu tinha boas expectavivas, afinal eu normalmente gosto dos filmes do Altman (exceto por Mr T e suas mulheres, mas ei, todo mundo tem o direito de errar, né? :P) Agora é esperar para entrar em circuito, assim como Volver, ou baixar pela internet como Little Miss Sunshine, já que foram os filmes que eu realmente gostaria de ver visto no Festival.

Sábado, fomos almoçar no Bar Luiz, no Centro, com Sr. e Sra. Pablo. Amanda apareceu por lá, depois fomos tomar um chopp no Amarelinho, foi divertido, e confortante sair com os amigos. Mas a hora do filme chegou e lá  fomos nós ver o novo filme do 

Clerks II:Se você é nerd como eu, esse filme se torna imperdível. Eu ri muito. Especialmente na hora da conversa sobre os “Retornos”. Mas o resto do filme todo é hilário. Teve gente que achou algumas partes pesadas ou apelativas, eu não achei, o público do Kevin Smith cresceu e baseado nas referências aos outros filmes, achei totalemente justificável.

Ontem, depois de cumprir com minhas obrigações familiares (almoço com a D. Giselda e Alexandre)  e cívicas (pegar fila pra votar) , fui ver o novo filme do Riddle Scott:

Um bom ano (A Good Year).
Confesso que foi uma excelente surpresa. Eu não me lembro de um filme do Scott que eu tenha gostando tanto. Pode ser um filme previsível, pode ser um filme péla, mas é um filme daqueles em que você saí mais leve do cinema. Outra confissão é que ter o Albert Finney no elenco faz meu coração bater mais forte. O “Uncle Henry” dele me lembra o Edward Bloom de Big Fish e com isso meu coração foi amanteigado. Outra do elenco do filme do Tim Burton é a Marion Cotillard, que está lindíssima no filme. E a história, apesar de poucas novidades é bem contada, e o Russell Crowe está bem melhor do que eu poderia imaginar quando li a sinopse do filme. Enfim, adorei e vou revê-lo em dezembro, quando entrar em cartaz.


Agora o Festival acabou pra mim ($$). Agora só ano que vem!  =P
E a eleição, crianças?
* Collor, Maluf, Sarney e mensaleiros eleitos. Corrupção ficou sem punição nas urnas. No Brasil, o crime compensa. 😦
* Clodovil, Wagner Montes, Frank Aguiar, eleitos. Espero que eles cumpram as expectativas do povo que os elegeu… agora a Marielza do BBB,  tentando se eleger… vergonhoso, simplesmente vergonhoso.

Que venha o segundo turno.