Uma coisa que uma hora ou outra quem me conhece, passa a atestar é que eu sou brega.

Vamos lá, sou one hundred percent brega com todo orgulho de alguém que saiu da ZN do Rio, mesmo que às vezes sem querer acabo por envergonhar os amigos criados na Zona Sul. E minha veia dramática nem me deixa disfarçar, embora eu tente me controlar.

Mas esses dias ando com o bregômetro desligado, primeiro foi a necessidade básica de ouvir declarações melosas do namorado, coisa muito difícil de ocorrer, porque além de ele ser homem macho do sexo masculino e desligado naturalmente para essas coisas, a gente não se viu esses dias, e deve ser assim até sábado. Mas mesmo assim ele me é muito atencioso, ou pelo menos eu hoje o reparei mais atencioso do que eu esperava. Me derreti, me embregueci. Depois foi pela declaração melosa daqui do lado, falando dele e dos meu amigos. Disseram que está brega, mas nem ligo, quem não gostou que se deu mal (e olha que vai ser muita gente :P). Mas o que me deixou realmente com a certeza de que a veia brega pulsa forte dentro de mim foi o blog da Lila: Eu simplesmente adoro a Árvore da Lagoa! E também não tem nada a ver com o fato de eu ter um namorado maravilhoso e nem com a minha satisfação nessa área, afinal quando eu não tinha namorado, eu também adorava. Acho que vou tentar marcar uma coisa meio brega e melosa, de ir namorar na Lagoa a noite pra poder ver a Árvore acessa.

Mas vai ver meu namorado não-brega vai achar que isso já exagerar e vai falar: “Almoçar com a sua família tudo bem, mas pagar mico no Leblon, nem pensar!”

Mas não me incomodo, vou convidar do mesmo jeito, porque mesmo que ele diga que não role, a gente marca outro programa qualquer pra eu aproveitar bem o namorado e encher ele de declarações bregas e açucaradas de amor sem fim, que eu adoro fazer!

Esse semana vou ter que estudar pra caramba, afinal semana que vem é minha prova de espanhol. Não que eu não vá passar, eu sei que eu vou, mas tive muitas faltas e com isso minha nota na prova oral deve cair.

Sexta-feira eu não vou descer de novo. Minha mãe precisa viajar e eu vou ficar aqui com a D. Margarida. Eu não gosto nadinha de ficar aqui isolada do mundo, mas pelo jeito isso vai acabar se tornando hábito já que tem gente que desaparece na quarta e fica faltando alguém pra ajudar minha mãe.

Só vou pra farra no sábado … pena que vou ter que dormir aqui em casa sozinha … morro de medo. :/